ANS quer estimular participação do paciente para melhoria do cuidado em saúde

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) quer estimular uma maior participação do paciente nas decisões relacionadas à saúde, contribuindo, assim, para qualificar o cuidado e tornar o usuário mais consciente sobre suas necessidades. Para isso, a reguladora está lançando o projeto “Sua Saúde: Informe-se e Faça Boas Escolhas”. A iniciativa é inspirada em ações desenvolvidas em outros países e busca falar diretamente com o paciente, fornecendo informações relevantes e orientando sobre questões relacionadas ao cuidado e tecnologias utilizadas no diagnóstico e tratamento de doenças.

O projeto conta com a parceria de 17 instituições, incluindo entidades médicas, acadêmicas e de apoio ao paciente. O grupo, coordenado pela ANS, propõe um conjunto de informações que está sendo disponibilizado no portal da Agência com o intuito de melhorar o entendimento do paciente sobre sua situação de saúde e sobre o seu papel no tratamento. A página do projeto será atualizada periodicamente, com a inserção de novos conteúdos. O primeiro tema a ser abordado é a comunicação com o responsável pelo cuidado. Para isso, são dadas dicas sobre como o paciente deve se preparar para uma consulta. Essa interlocução é componente fundamental da atenção em saúde e, quando bem feita, além de aumentar o bem-estar e a confiança do paciente, pode potencializar os resultados positivos do tratamento.

“O projeto Sua Saúde é uma iniciativa que estimula uma participação mais proativa do paciente em relação à tomada de decisão em saúde, focando na informação de qualidade compartilhada com os outros responsáveis pelo cuidado”, explica Daniele Pinto da Silveira, especialista em regulação e assessora técnica da Diretoria de Desenvolvimento Setorial da ANS. “Com esse projeto, queremos oferecer ferramentas ao paciente para que ele de fato participe das decisões que lhe afeta, questione e saiba que podem existir alternativas de diagnóstico e tratamento. Queremos o paciente como protagonista do cuidado”, destaca. Daniele ressalta que em sistemas de países do mundo inteiro tem-se observado um crescimento da abordagem centrada e focada na experiência do usuário, e a comunicação tem papel fundamental, contribuindo para os resultados do cuidado.

O primeiro conjunto de informações disponibilizado contempla orientações gerais para que o paciente realize uma boa consulta, com dicas que devem ser observadas antes, durante e depois do atendimento. Também são sugeridas perguntas essenciais que o paciente pode fazer ao responsável pelo cuidado em relação a procedimentos e exames:

1. Esse exame/procedimento é realmente necessário?
2. Quais são os benefícios, as contraindicações e os efeitos colaterais desse exame/procedimento?
3. Existem opções mais simples e seguras?
4. O que acontece se eu não investigar ou se eu não tratar meu problema?
5. Quais são os custos envolvidos?

“É muito importante que as pessoas saibam que é esperado que façam perguntas e procurem compreender melhor o que se passa quando sofrem com algum problema de saúde. Muitas vezes os pacientes não questionam sobre sua condição de saúde quando estão em uma consulta e acabam buscando outras fontes para orientação, nem sempre adequadas. Essas perguntas que estamos sugerindo podem colaborar para um melhor resultado do cuidado e também para uma melhor relação médico-paciente. São perguntas que podem surgir naturalmente durante a conversa com seu médico ou outro profissional de saúde que o acompanha”, diz Daniele.
Os responsáveis pelo cuidado (médicos e demais profissionais de saúde) são parte fundamental dessa relação e, como tal, também ganham com as medidas sugeridas pela iniciativa. Entre os benefícios estão a maior adesão do paciente ao tratamento, com maior probabilidade de obtenção de bons resultados, a fidelização do paciente ao profissional de saúde, a diminuição do risco de entendimento equivocado das prescrições e recomendações e maior satisfação do profissional de saúde com sua prática clínica.

Sobre o projeto

O projeto Sua Saúde nasceu da participação de representantes de pacientes em fóruns constituídos pela ANS e é inspirado em experiências como a Slow Medicine, o Talking to your Doctor (NIH/EUA), o programa NHS Choices e a iniciativa conhecida como Connecting to patients and people who use services, estes últimos do governo do Reino Unido.
O conteúdo foi construído com o apoio de um Grupo Técnico (GT) formado e coordenado pela ANS e composto por 17 instituições. Confira abaixo os parceiros do Sua Saúde:

 Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP);
 Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (ICICT/FIOCRUZ);
 Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/FIOCRUZ);
 GVSaúde/FGV-EAESP;
 Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN);
 Sociedade Brasileira de Patologia Clínica / Medicina Laboratorial (SBPC/ML);
 Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV);
 Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC);
 Hospital Sírio-Libanês;
 Hospital Israelita Albert Einstein;
 Hospital Pró-Cardíaco;
 Associação Médica Brasileira (AMB);
 Grupo AMIL;
 Unimed BH;
 Gama Saúde;
 Banco Safra;
 Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (ABRALE).

A iniciativa também surge no contexto de ações em andamento na ANS voltadas à indução da qualidade do setor, intensificadas a partir de 2014 com a proposição de cinco eixos prioritários: Oncologia (Projeto OncoRede); Cuidado ao Idoso (Projeto Idoso Bem Cuidado); Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPME); Odontologia (Projeto Sorrir) e Atenção ao Parto e Nascimento (Parto Adequado). Com informações da Agência ANS.

Fonte: Forum Saúde Digital

Anúncios

4P´s da Gestão da Inovação

INDICADO PARA negócios de todos os portes, mas esta ferramenta foi desenvolvida considerando pequenas e médias empresas.

SERVE PARA o empreendedor organizar a capacidade de inovação de sua empresa para torná-la mais competitiva de forma contínua.

É ÚTIL PORQUE oferece uma visão abrangente sobre como a inovação pode ser gerida em organizações de menor porte.

SOBRE A FERRAMENTA: A abordagem dos 4Ps já foi muito bem-sucedida no planejamento de marketing e basicamente consiste em quatro áreas de decisões (produto, praça, preço e promoções) que o gestor pode tomar com o intuito de fortalecer as vendas de sua empresa. Os 4Ps da inovação seguem a mesma lógica e consistem em quatro áreas de decisões (propósito, processos, pessoas e políticas) que o empreendedor precisa considerar para fortalecer e/ou consolidar a capacidade de inovação de seu negócio.

Como usar: Para que isso ocorra, é preciso considerar as seguintes sugestões para cada um dos 4Ps da Gestão da Inovação:

1) Propósito de inovar: A primeira reflexão diz respeito ao propósito da inovação para o seu negócio.

2) Processos para inovar: Depois que a empresa esclarecer que definição de inovação irá empregar, seu alinhamento com a estratégia e as metas, deve definir os processos para começar a transformar novas ideias em fontes de lucro.

3) Pessoas para inovar: Para que os processos de inovação funcionem, tenha em sua empresa pessoas que se encaixem em duas categorias: empreendedoras (as que percebem oportunidades e têm perseverança até conseguirem a implementação) e as gestoras (são flexíveis, mas orientadas para transformar conceitos intangíveis em resultados mensuráveis).

4) Políticas para inovar: De nada adianta a empresa saber definir o que é inovação e como ela contribui para o resultado do negócio, definir os processos e ter as pessoas certas para inovar se não criar condições para que a inovação realmente aconteça. Para que isso ocorra, defina políticas de gestão.

A figura a seguir, destaca o formulário de autodiagnóstico para que possa atuar nesse processo.

formulario.JPG

Utilize o formulário para ter uma base de conhecimento, e a partir daí uma melhor organização sobre o conceito de inovação, processos, política, pessoas e o propósito.

Baixe o artigo completo clicando aqui: ME_4Ps-Gestao-Inovacao

Fonte: http://cms-empreenda.s3.amazonaws.com Acesso em: 15/03/2017

 

Organize-se com Kanban

Ha alguns dias escrevi um tópico sobre gestão à vista e mencionei sobre o Kanban! Pra quem não conhece “Kanban é um termo de origem japonesa e significa literalmente “cartão” ou “sinalização”. Este é um conceito relacionado com a utilização de cartões (post-it e outros) para indicar o andamento dos fluxos de produção em empresas de fabricação em série.” Fonte: Kanban

O conceito vem da indústria, mas pode ser muito bem aplicado em todas as áreas, inclusive na nossa vida, para uma melhor organização das atividades, estudos, projetos de aquisição de um veículo, um imóvel ou qualquer coisa. Na nossa era, que é da tecnologia, há aplicações que simplificam e agilizam as atividades sem a necessidade de postites, como mencionado no conceito original. Mas não podemos deixar de lado o bom e velho papel.

A parte manual do negócio!

Vou citar um exemplo que podemos aplicar, e que faço uso para os estudos, partimos do uso de cartolina e postites, logo mais menciono o uso de aplicativo.  Crio então colunas na cartolina com as descrições, A Fazer (To Do), Fazendo (Doing) e Feito (Done) conforme figura abaixo.

kanban-board2.jpg

Na parte “A Fazer” coloco a minha lista de atividades, e conforme vou realizando, colo-as nas outras colunas. Simples, não!

É um processo de gestão à vista, com controle das atividades. Esse modelo pode ser empregado tranquilamente em seus projetos, conforme mencionei, por exemplo, para aquisição de um carro coloque nas atividades, juntar R$ XX valor até o mês YY, vender tantos produtos até tal data, etc.

O lado bom da Tecnologia!

Agora vamos para a parte tecnológica do negócio, então gostaria de apresentar a vocês uma ferramenta que utilizo, que é muito simples, prática e efetiva. Não é propaganda e não ganho nada com isso, aliás, ganho ajudando a ampliar o conhecimento de todos de uma certa forma 😉

Trello, é o nome da ferramenta! É um aplicativo online que faz esse mesmo papel dos postites, porém, você tem a possibilidade de adicionar prazo de entrega, descrições mais detalhadas, lista de tarefas etc etc. A aplicação funciona em computadores, Tablet´s, celulares e demais dispositivos que tenham acesso à internet. Criei, conforme imagem abaixo, um exemplo para entrega da declaração do imposto de renda com prazo para 31/03/2017, e conforme o andamento da atividade, só arrastar o quadro para o “Fazendo” ou “Feito”.

kanbantrello

O aplicativo está disponível em www.trello.com, basta acessar criando uma conta e começar a se organizar!

Alessander Gonçalves José
CEO CloseToMewww.closetome.com.br
Analista de Projetos em Tecnologia
Mestrando em Tecnologia da Informação e Comunicação

Não estranhe, seu médico ainda lhe prescreverá alguns Aplicativos (Apps) para sua Saúde Digital !

Em dois artigos nós abordamos o tema de como os wearables (dispositivos vestíveis) farão parte de nossas vidas, e terão um papel significativo na monitoração de nossa Saúde Digital. Mas eles não trabalham sozinhos, precisam de um companheiro – o Aplicativo (também chamamos de App)!

Você deve ter talvez algumas dezenas deles em seu smartphone, que o auxiliam nas mais variadas tarefas: mapas, calculadora, foto, música, navegar na internet, comunicação por texto, midia social, etc. Eles hoje são criados para quase todas as aplicações e necessidades, muitas inúteis é verdade.

No campo da Saúde não seria diferente. O número de aplicativos de saúde móvel (conhecidos como mHealth Apps) aumentou nos últimos dois anos, com mais de 165.000 aplicativos de saúde agora disponíveis nas lojas de aplicativos Apple iTunes e Android, de acordo com um novo estudo do IMS – Institute for Healthcare Informatics.

Mas a pergunta óbvia é: Será que todos eles atendem nossas necessidades e são relevantes para nossa Saúde?

Leia mais em: http://forumsaudedigital.com.br